quinta-feira, 19 de abril de 2012



Um pião entre os reis

Nem tudo é o que parece,
Muitas coisas não têm lógica no mundo Que você acha ter lógica,
Muitos olhos não são verdadeiros!
E por que deveriam ser?
Os olhos jogaram-me no chão!
Cuspiram e vomitaram em cima de mim,
Como se eu fosse um verme,
Isso mesmo,
Um verme!

Sem sentido, sem sensações, sem sentido!
As palavras entram na mente e descem pela garganta,
São digeridas como pimenta e queimam como fogo;
As bocas são infames
E não sabem o que dizem,
Mas dizem a verdade,
A verdade da verdade!
Mas elas não sabem o que é verdade!
Nem entendem a verdade!


É! Eles são meus superiores,
E eu, um simples ácaro em um navio abandonado!
Eu não, mesmo quando tive minha primeira vitória,
Eu perdi!
Perdi para mim mesmo,
E para tudo e todos que podia perder.
Eles são gênios,
E eu nem sei nem falar!
Eles são seres lógicos e filósofos,
Mesmo sem ter lógica e saber o que é filosofia.

Os seres da nobreza coram-me com seus enxovalhos,
Eles não! Não merecem enxovalhos,
Não recebem enxovalhos,
No meio da multidão eu sou o único ser vil,
Porque todos me dão a vileza,
Espantaram de dentro de sim os termos mesquinhos,
E atribuíram eles a esse ser reles que escreve.
Não quero acreditar, não tenho porque acreditar,
Ninguém que acreditar,
A desconfiança é uma virtude.

Onde estou?   
O que é o amor?
Onde vamos parar?
Nunca sabemos!
E eu estou aqui escrevendo versos,
Versos...
Insanos versos!
Devem ser isso que dizem dos meus versos.
Às vezes parece uma infâmia minha não sabe nada,
E dizer que nada sei,
Numa sociedade que todos nascem sabendo,
Mesmo quando não sabem.

Porque me fazem perguntas se nunca estou certo?
Como poderei responder aos meus superiores?
Deixe-me meu silêncio falar para mim,
Vocês não precisam escutar,
Mas eu sim, tenho o dever e obrigação de escutar a mim e a vocês,
Mesmo quando ninguém tem nada a dizer.


Diante dos olhos e olhares serei eternamente o que sou,
Talvez um nada para vocês,
Talvez um tudo para mim!
Talvez...
Quem sabe mais uma vez
Talvez!...


Felipe Santos








Nenhum comentário:

Postar um comentário